Artigos, Destaques, Notícias › 29/11/2017

Papa encontra líderes religiosos em Mianmar

Uma visita fora de programa: líderes budistas, hinduístas, muçulmanos, judeus, batistas e anglicanos reuniram-se com o Papa Francisco na manhã da terça-feira 29 de novembro, no Arcebispado em Yangun.
Falando em espanhol, o Papa dirigiu a eles algumas palavras, frisando que “unidade não é uniformidade” e exortou-os à construção da paz e a não se deixarem “uniformizar pela colonização das culturas”. Eis a íntegra de suas palavras:
“Em primeiro lugar, muito obrigado por terem vindo. Quem sabe deveria ter sido eu a visitar cada um de vocês, porém vocês foram generosos e me pouparam trabalho.
No momento em que vocês falavam, me veio em mente uma oração. Uma oração que rezamos com frequência, tirada do Livro dos Salmos: “Como é bonito ver os irmãos unidos”. Unidos não quer dizer iguais. A unidade não é uniformidade, mesmo dentro da mesma Confissão. Cada um tem seus valores, suas riquezas, e também suas deficiências.
Somos todos diferentes e cada Confissão tem suas riquezas, suas tradições, suas riquezas para dar, para compartilhar. E isto somente pode existir, quando se vive em paz. E a paz se constrói no coro das diferenças. A unidade sempre se dá com as diferenças.Por três vezes alguém de vocês usou a palavra harmonia. Esta é a paz: a harmonia! Nós, neste tempo que nos toca viver, experimentamos uma tendência mundial à uniformidade, de fazer tudo igual. Isto é matar a humanidade. Isto é uma colonização cultural.

E nós devemos entender a riqueza de nossas diferenças (étnicas, religiosas, populares) e a partir destas diferenças, se dá o diálogo. E dessas diferenças um aprende do outro, como irmãos… que, como irmãos, vão ajudando-se reciprocamente para construir este país, que também geograficamente tem tantas riquezas.
Não tenhamos medo das diferenças. Um é o nosso Pai. Nós somos irmãos. Nos queiramos como irmãos. E se discutimos entre nós, que seja como irmãos. Que em seguida se reconciliam. Sempre voltam a ser irmãos. Eu penso que somente assim se constrói a paz.
Agradeço a vocês por terem vindo me visitar. Sou eu que estou visitando vocês. E gostaria que ao menos espiritualmente esta visita fosse considerada como a de mais um irmão.
Obrigado, construam a paz. Não se deixem uniformizar pela colonização das culturas. A verdadeira harmonia divina se faz por meio das diferenças. As diferenças são uma riqueza para a paz.
Muito obrigado. E me permito uma oração, de irmão para irmãos, uma antiga bênção que nos inclui a todos: O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o Senhor sobre ti levante o rosto e te dê a paz”.

 

 

Os líderes presentes no encontro:
1. Ashin Aria Wonthar Biwontha, Myawaddy Min Gyi Monastery.
2. Asia Alin Sayadaw.
3. Sayadaw U Thila Wontha, Presidente do Botahtaung Sankhanayaka.
4. Sayadaw Dr. Thondara. Vice Retor, International Wipathanar University, Sigaing.
5. U Myint Shwe. Presidente, Religions for Peace and Yadana Metta Development Buddhist Organization.
6. Ahah khaliphosh U Aye Lwin. Chief convener Islamic Center of Myanmar.7. Ahah U Nyunt Maung Sheine. President of Islamic religious affair council Myanmar.
8. Ahah U Khin Maung Myint. Chairperson Islamic center of Myanmar, C/O U Aye Lwin.
9. U Kyaw Thu. Secretary, All Myanmar Hindu Centre Council, C/O of Sann Min Naing.
10. Dr. Sann Min Naing. Organizing Secretary, Hindu Drama Shiksha Samiti.
11. Dr. Tu Ja (Kachin)
12. Patrick Loo Nee. President, Myanmar Council of Churches.
13. Archbishop Stephen Than Myint Oo. Archbishop of the Church of the Province of Myanmar – Anglican.
14. Rev. Mahn San Thein Tun. Secretary of Public Relationship Committee, Myanmar Baptist Convention.
15. Rev. Aung Thet Nyunt. Patron of Myanmar Prayer Committee.
16. Rev. Dr. Paul Myint Htet. Secretary of Province of the Church of Myanmar.
17. Sammy Samuel. Leader of Jewish Community.

(Fotos:@L’Osservatore Romano)

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.