Artigos, Destaques, Notícias › 01/09/2017

PARÓQUIA MISSIONÁRIA: COMUNICAR A FÉ E TESTEMUNHAR A CARIDADE

 

 

Neste mês de setembro, o Papa Francisco faz um apelo de oração pelas Paróquias, para que sejam animadas por um espírito missionário, dando testemunho da caridade e comunicando com alegria a fé. É um pedido feito à toda a Igreja, mas sobretudo a nós que formamos a Rede Mundial de Oração do Papa (Apostolado da Oração) e o Movimento Eucarístico Jovem.

A partir do Concílio de Trento, a Igreja foi organizando seu modo de estar no mundo ao redor de uma Paróquia, um lugar onde as pessoas possam se encontrar, celebrar, assumir a caridade, receber a formação e amar uns aos outros no Senhor.

Os jesuítas na América Latina publicaram as Características da Paróquia Jesuíta na América Latina de Hoje, no qual vão desenhando o retrato de uma Paróquia que vivendo em rede de comunidades busquem ser Comunidades de fé em Jesus Cristo e no seu Reino, fraternas, missionárias, solidárias e litúrgicas.

“Atualmente, nossas paróquias devem priorizar e distinguir-se por sua espiritualidade e vida comunitária e assim ajudar no processo de unir, pelo Espírito, toda pessoa com Deus e seu Povo. Assim, a paróquia está chamada a ser manancial da experiência de Jesus Cristo e de seu Reino; escola notável de fé, esperança e caridade; lugar onde se vive e partilha a mística cristã; fonte donde cresce e se expressa nosso amor a Maria.”

“Nossas paróquias sejam um corpo organizado de comunidades fraternas, inclusivas, acolhedoras, simpáticas, sem discriminação alguma.”

“Nossas” paróquias devem ser comunidades de comunidades missionárias, manancial de ministérios e ministros que “saiam” em missão pela vida e pela fraternidade, afim de inculturar o Evangelho em tudo e em todos.”

“Temos o propósito de construir nossas paróquias como comunidades alternativas e abertas, germes do Reino, que promovam uma sociedade solidária, que fomente a cultura da democracia, dos direitos humanos, da vida. A paróquia profética deve ser centro de irradiação de comunidades solidárias e, mais do que ter alguns serviços isolados, trabalhe para transformação solidária, e assim chegue a ser sacramento de solidariedade.”

“Valorizar as ações litúrgicas como momentos densos de fé e oração. É necessário sermos criativos para que as ações litúrgicas sejam momentos privilegiados de oração, e assim ajudem a comunhão de cada pessoa e da comunidade com Deus e seu Povo. A comunidade paroquial celebra, com toda a Igreja, o mistério da salvação no ano litúrgico.”

Neste mês, portanto, vamos intensificar nossas orações por todas as Paróquias que ao redor do mundo buscam ser espaço de acolhida e de presença do Senhor.

O desafio que nos pede o Papa é também conhecer melhor a nossa Paróquia com seus grupos, sua estrutura, suas necessidades, procurando ajudar como puder.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.